Cinquenta tons de cinza – Vai encarar?

“Porque sou cinquenta vezes fodido, de cinquenta maneiras, cinquenta tons diferentes, …’’ Pag 241

 

Romance e não romance, amor e perversão, traumas e prazer…

O Inebriante livro Cinquenta Tons de cinza representa um pouco de tudo isso. No início parece um romance daqueles que lemos por aí, uma jovem tímida e desajeitada que se apaixona por um homem rico, poderoso e misterioso seria um desejo impossível? que nada, de repente, tudo se esclarece ele também se interessa por ela, mas de uma maneira nada convencional.

“Isso quer dizer que você vai fazer amor comigo hoje à noite, Christian?… Não, Anastasia não quero dizer isso. Em primeiro lugar, eu não faço amor. Eu fodo… com força. ’’ pag. 89

 

Para a surpresa das leitoras vemos uma jovem mulher aceitar as loucuras até que ponto? sexuais de um homem sedutor que propõe a ela a assinatura de um contrato de submissa e dominador. A leitura começa a ficar repugnante e ao mesmo tempo envolvente e se torna difícil parar de ler.

Contrato

““… O propósito fundamental do presente contrato é permitir à Submissa explorar de maneira segura sua sensualidade e seus limites, respeitando e considerando devidamente suas necessidades, suas restrições e seu bem-estar. ’’ Pág. 149

Descrevendo cinquenta tons de cinza

Não é de se assustar toda a polêmica que gira em torno da história escrita por E. L. James, como nós mulheres atuais que lutamos por liberdade e independência nos colocamos na posição de submissas sexuais? Como aceitar que isso possa causar prazer em alguém?

 Mais uma vez o preconceito toma conta da maioria das pessoas.

Até que ponto os presentes que ele dá a ela influenciam na sua descisão em aceitar viver algumas experiências com ele?

Até que ponto você gostar deste ou daquele fetiche sexual significa uma ofensa às mulheres?

Até que ponto se permitir viver uma loucura sexual te faz ser pervertida ou louca?

 Nós do Feminilidades queremos saber o que vocês pensam sobre este assunto, comentem e nos ajudem a entender um pouco mais sobre esta nova tendência que está fazendo a cabeça das mulheres.

*Imagem retirada da Fanpage do Blogcitário.  Caso seja o dono nos avise para que possamos creditá-la ou excluir.

Onde foi parar a solidariedade?

Outro dia, ia eu feliz e contente para o trabalho. Tá bom, nem tão feliz e contente, afinal sair de casa antes das 7 da manhã não é das coisas mais legais.

Enfim, chegando à estação do metrô eis que tropeço e caio. Tropecei num sobressalto mínimo e provavelmente isso aconteceu porque estava perdida em devaneios. Viajando na maionese mesmo. Até aí tudo bem, acontece nas melhores famílias e comigo sempre. O que me impressionou foi a falta de solidariedade dos que passavam, gentileza zero. Eu, cheia de sacolas e bolsa, tudo se espalhou e mesmo assim ninguém parou para me ajudar. O máximo que fizeram foi olhar na minha direção, com certa indiferença até.

Levantei-me, recolhi minhas coisas e segui. Passos a frente, um policial que viu o tombo de longe se aproximou para saber se eu estava bem. UMA PESSOA, entre tantas que iam na mesma direção. Onde foi parar a solidariedade?

Solidariedade

No dicionário a palavra significa: sentimento que leva os homens a se auxiliarem mutuamente. Mas isso está se perdendo… As pessoas estão assustadas demais e com pressa demais para reparar no outro. Comigo, foi só um tombo bobo, mas a mesma atitude se repete o tempo todo em situações mais graves. Quando você passa sem olhar para o morador de rua, quando fecha o vidro do carro para ignorar a existência do garotinho pedindo um trocado. E muitas outras situações em que ignoramos a dor do outro porque estamos ocupados demais cuidando do nosso umbigo.

Solidariedade, gentileza e respeito nunca serão demais. Ao praticar tais atitudes não estamos perdendo tempo, ganhamos. Porque a vida torna-se mais leve e nossas dores também. Vamos praticar? 

*Imagem retirada de Stock xchng.

Anjos existem, um deles me falou sobre amizade…

Aconteceu naqueles dias em que tudo está meio nublado, quando a tristeza já está tomando conta e o choro é uma consequência. Fui fazer um orçamento em uma agência de viagens e lá encontrei um anjo que me ajudou a ver o sol de novo e a aceitar a vida como e ela é!

De repente me vi nua diante da descrição que aquele senhor com cara de vovô fez sobre quem eu sou o que penso, quais são minhas angústias e também minhas qualidades! Ele me disse e eu jamais irei esquecer “você precisa parar de ver as pessoas da forma que sua mãe ensinou, o mundo mudou” foi ai que entendi que existe muita gente boa, mas também gente ruim, que as pessoas são imperfeitas e muitas vezes injustas até sem saber, além disso, tudo depende do ponto de vista!

Amizade hoje em dia é uma coisa bem relativa (pode ser que sempre foi assim, mas só percebi isto agora) fulano é seu amigo, quer te ver bem, mais isso não significa que ele te apoie nos negócios, nas decisões amorosas ou que ele te dá o seu ombro “amigo” na hora da choradeira…Aquele seu melhor amigo é só melhor amigo na hora de ir para a balada, ou é só seu melhor amigo para ver filmes, ou é só seu melhor amigo para falar de negócios e trabalho, ou é só seu melhor amigo para compartilhar as coisas boas e fingir que as ruins não existem… (tem hora que a gente precisa disso)

Não digo que não acredito, que perdi totalmente as esperanças, até porque disse o anjo que eu sou uma pessoa muito esperançosa e por isso consigo as coisas na minha vida, mas acho difícil que exista hoje aquele melhor amigo que te acompanha em todos os momentos, até mesmo quando não concorda com você, digo isso e não julgo até porque estou aprendendo a ser assim também. Vivi algum tempo na solidão para resolver minhas questões interiores, depois de perceber que os meus amigos não queriam passar por isso comigo, e agora percebi que eles estavam certos, ninguém é obrigado a passar maus momentos com o outro…

Agora me sinto até mais leve, carrego menos a inquietação alheia, e me comovo mais só que na hora certa, agora convivo na maioria das vezes apenas com os meus fantasmas e até eles eu ando dispensando, e por conta deste entendimento e de ter clareado as ideias e aceitado as pessoas como elas são, me sinto até mais amiga, menos chata, mais companheira daqueles que me querem bem mesmo quando não me apoiam!