Wanderlust – Como tudo mudou quando eu aceitei o novo

Corpo jovem com mente e pensamento limitador, é triste pensar, mas me permiti ser assim durante um longo tempo entre os meus vinte e poucos anos.

.

Cada um à sua maneira

.

Cada pessoa tem um jeito particular de ser, uma forma de encarar as coisas e às vezes é difícil para a gente ter empatia com o jeito de ser do outro. Quantas vezes nos pegamos julgando o comportamento alheio e achando que sempre temos razão, que nosso modo de ver a vida é o melhor? Eu já fiz isso várias vezes e acredito que você também, tem hora que agimos assim sem perceber.

.

Eu tinha uma forma de ver o mundo que mudou bastante depois que passei por alguns traumas, situações que, por conta de uma personalidade e fragilidade emocional que vivia na época, me levaram a apagar certos sonhos e desejos do meu coração. Questões que poderiam ser simples para algumas pessoas, mas eram extremamente tristes e difíceis de lidar para mim. Ainda bem, que mesmo em meio a tudo isso, tive a oportunidade de ir, aos poucos, vendo novas possibilidades e de repente, algo novo começou a surgir em mim.

.

Wanderlust e as possibilidades que encontrei diante do novo

.

No fim do ano de 2016 fiz a minha primeira tatuagem. Wanderlust foi a palavra que eu escolhi pois tem um significado que se relacionava muito com a minha nova fase de vida. Me permitir viver o novo, viajar por novos lugares, novos, mundos, novas formas de pensar e encarar a vida.

.

Toda essa postura nova fez com que os meus sonhos antigos voltassem a tona e uma inquietude positiva, novamente tomou conta de mim.

wanderlust

.

Uma perda, se tornou um importante recomeço

.

Toda perda envolve sofrimento, porém muitas vezes, junto vem uma renovação incrível e foi assim que encarei o término do meu relacionamento de anos. Foi extremamente dolorido, mas ao mesmo tempo, tudo o que eu sempre sonhava para mim, a muitos anos atrás começou a se concretizar . Isso aconteceu, porque quando eu perdi, percebi que na verdade eu havia desistido, o que me levou a ser alguém que eu não admirava, quando eu perdi, percebi que tinha desistido de mim e por isso dificilmente alguém que estivesse bem resolvido emocionalmente iria querer compartilhar bons momentos com alguém que desistiu. Foi nesse ponto que tudo mudou.

.

Comecei a olhar para mim

.

Eu me permiti, olhei para dentro, busquei entender o que estava acontecendo. Vi claramente que havia desistido das minhas escolhas, dos meus desejos e comecei a buscar o novo. Uma nova maneira de ver o mundo, uma nova forma de me ver. De repente tudo começou a acontecer e foi espontâneo. Percebi que quando agente se permite a vida flui. Claro, terão obstáculos, será difícil em boa parte do tempo, haverão lágrimas frias, mas também haverá sorrisos, evolução, gratidão.

.

Aprendi a realmente ser luz na minha vida. Espero que você se permita ser a luz na sua também.

De volta a vida quase fitness

Quase fitness? Mudar o estilo de vida geralmente não é algo fácil, mas é possível.

No início deste ano houveram grandes reviravoltas na minha vida e junto com elas veio a necessidade de mudar o estilo de vida. Mudar para algo que eu sempre gostei de fazer e por falta de atenção comigo mesma, deixava passar. Adquiri o péssimo comportamento de sempre dar mais atenção ao que estava a minha volta e choquem: eu não lembrava, não me preocupava, não cuidava, não me priorizava.

A consequência de me colocar em segundo plano foi ganhar peso e o pior de tudo, ficar completamente sem energia. Me sentia fraca. Bastava uma breve corrida para quase morrer de ataque cardíaco ou falta de ar.

Confesso que durante esse ano o percurso não foi fácil. Ainda sedentária fui fazer uma trilha e claro, sem preparo algum, meu joelho sentiu e adquiri tendinite. Mas como dizem, tudo tem um lado positivo. Essa tendinite foi meu ponto de partida. Mudei a rotina, me matriculei na academia, fiz procedimentos estéticos e acompanhamento com nutricionista. Em pouco tempo perdi 5k.

vida fitness

(mais…)

Você é insegura ou é ele que te passa insegurança?

Você é insegura… Quem nunca ouviu isso? Em tempos de Tinder, Ok Cupid, facebook e por aí vai, às relações ficaram muito mais expostas.

Acredito que são velhos comportamentos do ser humano potencializados com as redes sociais. E haja sofrença, ciúme e close errado!

Para nós que fomos criados em um sistema que dita que o casal perfeito é aquele que conta tudo um para o outro, em que disseram que a mulher perfeita é aquela que, até podemos dizer: “tudo vê, mas nada enxerga”. É difícil crescer e descobrir que não dá mais para fingir que não queremos mais ficar caladas diante de certos comportamentos.

Nesse momento em que tudo se vê nas redes sociais, em que todo mundo corre o risco de receber um “miga seu namorado tem tinder” somos chamadas de loucas ciumentas. Você é insegura já virou frase de auto defesa dos boys.

Você+é+insegura

Mas será que somos nós as inseguras ou eles que não nos passam segurança? Viver um relacionamento numa tortura constante de desconfiança/vigilância já é algo que nenhuma de nós deveríamos nos sujeitar. Vez e outra até rola um ciúme aqui e ali, mas quando isso se torna permanente… Miga, cai fora!

É importante observar o que te incomoda e deixar bem claro:

  • Ainda está no tinder?
  • Fica curtindo, lançando corações e dando close errado no facebook?
  • Te joga um: você é insegura toda vez que você pergunta alguma coisa?

Esses 3 itens acima te incomodam? Então conversa com o cara e se ele não se mostrar disposto a respeitar você e entender que tipo de relacionamento quer levar, observe:  pode ser que na verdade não é você que é insegura e sim ele que não quer e não vai te passar segurança. vamos combinar, nem todo mundo consegue viver em um relacionamento monogâmico e se esse tipo de relacionamento for essencial para você o melhor é tirar seu time de campo.

você+é+insegura+só+que+não

Você é insegura? Só que não. Nem sempre o problema está na gente, as vezes é ele que não consegue ou não quer levar esse lance a sério. Então bye, bye!

Viver uma vida que é cheia de possibilidades nos desgastando com a falta de lealdade alheia é se colocar num papel de submissão, é se colocar em última prioridade, é permitir que o outro te torture psicologicamente todo dia, aos pouquinhos, é uma puta violência emocional. Não dá mais para amar quem mal te respeita miga!

Pare um pouco e observe, é você que é ciumenta ou é ele que te causa insegurança?